Maringá, 18 de janeiro de 2022

CÂMARA MUNICIPAL
DE MARINGÁ

Sala de Imprensa
Vereadores de primeiro mandato fazem balanço do ano legislativo de 2021
Assessoria de Imprensa - CMM 07/01/2022

Aprendizado é a palavra que melhor define o ano de 2021 para os seis vereadores estreantes de Maringá. Rafael Roza, Delegado Luiz Alves, Paulo Biazon, Cristian Maia da Silva, Ana Lúcia Rodrigues e Cris Lauer foram empossados em 1º de janeiro, sem muito conhecimento sobre a rotina da Casa, mas cheios de ideias para atender as demandas da população.

O Brasil aguardava com ansiedade o início da vacinação contra o Covid-19 para reduzir o número de hospitalizações e, principalmente, de mortes. Em 2021, o pico de casos ativos, em Maringá, ocorreu na segunda quinzena de março, superando quatro mil pessoas contaminadas pelo vírus em um único dia.

Enquanto isso, os vereadores trabalhavam para criar leis que minimizassem os impactos causados pela pandemia. Até o final do ano, eles aprovaram 85 projetos relacionados ao assunto como, por exemplo, o Programa Juro Zero; o reforço à renda dos profissionais do setor de eventos e o auxílio emergencial às famílias em situação de vulnerabilidade.

Para que tudo isso acontecesse, os vereadores novatos e assessores se adequavam à rotina da Casa e ao trâmite dos projetos, requerimentos e indicações.

“Descobri que a tarefa é mais difícil do que pensava. Não basta ter uma boa ideia. É necessário traduzi-la em palavras dentro das regras de informação estabelecidas no Regimento Interno e, paralelamente, obter o apoio dos vereadores para que seja aprovada”, explicou Rafael Roza, o vereador mais jovem da atual legislatura, aos 35 anos.

Na opinião do vereador Delegado Luiz Alves que, além de político iniciante, é residente em Maringá há poucos anos, o tempo dos trâmites burocráticos no Legislativo pode ser um pouco alto em relação às urgências recebidas. Para compensar o prazo de análise na Procuradoria Jurídica e Comissões Permanentes, ele investiu no relacionamento interpessoal com os vereadores de carreira. Unindo sua facilidade de comunicação ao conhecimento em Direito, ele colaborou na criação da Corregedoria e do Conselho de Ética da Casa, ocupando o posto de corregedor até o final deste ano.

Já o professor de karatê e ex-policial militar, Paulo Biazon, atribuiu as derrotas sofridas em plenário à falta de apoio dos pares. “Nada disso me abalou. Volto, em 2022, determinado a lutar pelos projetos rejeitados ano passado. Já vivi muitos revezes na vida e nunca desisti. Agora, não será diferente”, afirmou Biazon que teve arquivados projetos como o que institui a defesa pessoal para mulheres destinado à prevenção e à minoração da violência doméstica e outro que propôs a isenção do pagamento da tarifa do sistema de estacionamento rotativo área de Estar para veículos compartilhados.

Para o empresário Cristian Maia da Silva, conhecido por Maninho, o maior desafio do primeiro ano de mandato foi conciliar a agenda de vereador aos compromissos profissionais fora da casa, como o funcionamento do açougue que possui nas imediações do Parque de Exposições. “Foi um período desgastante que valeu à pena pelo conhecimento adquirido e benfeitorias que ajudei a levar para a minha região”, comentou o 3º secretário da Mesa Executiva.

Com o intervalo de uma legislatura, as mulheres retornaram à Câmara Municipal representadas por Ana Lúcia Rodrigues e Cris Lauer. Apesar do contato obtido por meio do Observatório das Metrópoles, Ana Lúcia também sentiu o tempo dos trâmites em função da burocracia entre o protocolo de projetos até a última votação das propostas.

“Com esforço diário, alcancei aprovações importantes como, por exemplo, o uso prioritário de mulheres nas quadras do Meu Campinho, às quartas-feiras, e a criação da Procuradoria da Mulher na Câmara Municipal como novo elo na corrente de proteção e defesa das mulheres vítimas de violência”, lembrou a ex-professora da UEM.

A vereadora Cris Lauer confessa que 2021 serviu de teste físico, mental e emocional. “Justamente por ser minoria, acredito que enfrentei mais resistência em comparação aos demais vereadores. Mas, o lado bom disso é que estou mais preparada do ponto-de-vista técnico e pessoal”, explicou a comunicadora.

Para provar sua fala, Cris cita projetos que considera bem encaminhados no filtro das Comissões Permanentes. Entre eles: o estatuto dos autistas; aprimoramento na lei sobre a doação de cabelos para pacientes em tratamento de câncer; responsabilização legal dos motoristas (carros, motocicletas e bicicletas) que atropelem animais nas vias e criação do S.O.S Idosos para vítimas de maus-tratos.

Toda essa expectativa misturada à imprevisibilidade dos fatos que, invariavelmente, repercutem na Casa poderão ser acompanhados pela população a partir de 1º de fevereiro com a retomada as sessões ordinárias. Para minimizar os riscos de contágio pela Covid-19, essa conexão se estabelecerá, preferencialmente, pela internet nos perfis do Facebook, Youtube e Instagram.
Vereadores de primeiro mandato fazem balanço do ano legislativo de 2021
Vereador Rafael Roza
Vereadora Cris Lauer
Vereador Delegado Luiz Alves
Vereador Paulo Biazon
Vereador Maninho
Vereadora Professora Ana Lúcia
CÂMARA MUNICIPAL DE MARINGÁ
Avenida Papa João XXIII, 239 - Maringá - Paraná
CEP 87010-260 - Fone 44 3027-4114
Desenvolvido pela Divisão
de Tecnologia da Informação